terça-feira, 14 de julho de 2009

Pedindo licença

Quero construir o meu cenário da maneira que quiser.

Se as paredes têm asas, posso até dormir em pé
Se o tempo todo for de músicas
E o silêncio do intervalo,
Farei viradas bruscas
Com dois dedos um estalo

E se da multidão, preferir o eu sozinho
Farei, sim, questão de colocar alguém no caminho
Pois nas curvas largas dessa sinuosa estrada
Não quero ver apenas uma sombra desenhada

Se as janelas forem redondas para o sol se encaixar melhor
Tratarei de abrir as portas para secar todo o suor
E se você quiser inverter todas as etapas desse meu cenário
Peço que entenda que a realidade não mora noutro lugar
Senão no nosso imaginário...

Então, construa o seu invólucro da maneira que quiser!
(E deixe o meu em paz, do jeito que ele é)

2 comentários:

  1. deus salve o brasil, poetas ainda existem, mesmoooooooo

    ResponderExcluir
  2. oi ,
    como gosto e vivo poesia não foi complicado encontar sue blog, quem sabe um dia não fazemos uma canção juntos?
    Eu vivo na Bahia em Santo Amaro, terra do Caetano e Bethânia, é bem pertinho de Salvador...
    abraços

    ResponderExcluir